segunda-feira, dezembro 03, 2007

Evolucionismo em seis questões

Do Blog De Rerum Natura publica-se o seguinte post, assinado pelo Doutor Paulo Gama Mota:


Os estudantes do jornal A Cabra da Universidade de Coimbra colocaram-me algumas questões sobre evolução que reproduzo aqui, juntamente com as respostas.


1 - O que é o evolucionismo?
Evolucionismo era um termo utilizado para designar a ideia de que a vida na Terra resulta de um longo processo de evolução. Essa ideia foi avançada por Darwin há quase 150 anos. Segundo Darwin, as espécies foram-se modificando ao longo da sua história evolutiva, muitas se extinguiram e outras surgiram, num processo extremamente dinâmico. Darwin propôs como principal mecanismo para a evolução das espécies a selecção natural. A este conjunto de ideias chamamos teoria de evolução.


2 - Porque defende esta teoria?
As teorias científicas são grandes modelos explicativos de um conjunto muito grande de factos conhecidos sobre a natureza. E tudo o que temos vindo a conhecer sobre o funcionamento dos seres vivos ou sobre as interacções entre eles são concordantes com a teoria da evolução. Quando se descobriu como é que a informação para produzir um ser vivo estava guardada - o que iniciou a revolução molecular - não fazíamos ideia se haveria um ou vários códigos genéticos. Hoje sabemos que há só um, o que significa que todos os seres vivos actualmente existentes descendem de um antepassado comum, onde surgiu esse código. Defendo a teoria da evolução porque é a melhor explicação conhecida para a evolução dos seres vivos e porque os factos que vamos conhecendo são concordantes com ela.


3 - Que argumentos utiliza o evolucionismo contra o criacionismo?
O evolucionismo ou teoria da evolução é uma teoria científica. O criacionismo não. Uma pretende ser uma explicação científica de porque é que temos uma fisiologia igual à de outros animais - e testamos fármacos em ratinhos - ou porque é que partilhamos 98% dos nosso genes com os chimpanzés. A outra é uma construção dogmática de um grupo de pessoas, não cientistas, que tenta fazer passar por conhecimento sólido um conjunto de 'a prioris' religiosos de grupos religiosos que fazem leituras literais da Bíblia, como acreditar que a Terra não tem mais de 6 mil anos, ou que as espécies não evoluem. Além disso, o criacionismo, mesmo na sua versão 'light' designada 'intelligent design', viola princípios básicos de toda a ciência, da física à astronomia.
Os criacionistas mobilizam consideráveis recursos económicos nos Estados Unidos, mas também na Europa, para fazerem uma campanha de propaganda contra a ideia de que as espécies evoluem. Milhares de professores receberam um pesado e caro livro de descarada propaganda criacionista no último ano, a que chamei tijolo criacionista no blog De Rerum Natura.


4 - Qual a teoria proposta por Darwin e o que trouxe de novo à ciência?
A teoria de Darwin propõe uma evolução das espécies. Isso significa que se considerarmos quaisquer duas espécies actualmente existentes, se andarmos suficientemente para trás, encontraremos um antepassado comum às duas. Significa também que muitas das características singulares que temos resultaram de uma evolução adaptativa. Somos dotados de um cérebro que é o órgão mais complexo que conhecemos, em resultado da vantagem que cérebros crescentemente mais complexos tiveram para os nossos antepassados. Sempre que apanhamos uma constipação, ela pode tornar-se uma gripe ou não, que pode ou não ser fatal, em resultado da evolução do vírus que nos ataca. É o facto de evoluir tão rapidamente que torna o vírus da SIDA tão difícil de combater.

Hoje todos os biólogos são evolucionistas porque a teoria da evolução é, actualmente, a grande teoria da Biologia.


5 - Os evolucionistas do século XX adoptaram a teoria de Darwin mas corrigiram-na em alguns aspectos. Que aspectos foram esses?
Sim, mas podemos dizer que essas correcções são uma espécie de notas de rodapé. A teoria, no essencial, estava correcta.
Quando Darwin propôs a sua teoria, a genética ainda não existia. Havia umas noções de hereditariedade - sabia-se que se queriam criar um cão que corresse muito havia que escolher os animais mais velozes para reproduzir entre si. Quando as leis da genética ficaram conhecidas percebeu-se que estas eram ainda mais concordantes com a teoria proposta por Darwin do que a teoria de hereditariedade que ele avançou na altura. Sabe-se que há outros processos que conduzem à evolução além da selecção natural, o que não contraria a teoria geral proposta por Darwin.

Um dos aspectos mais fascinantes desta teoria é que ela propõe a evolução da complexidade da vida que conhecemos por um processo mecanístico, sem ser dirigida por um engenheiro muito, muito inteligente. E as imperfeições que encontramos nos órgãos aparentemente perfeitos, como os nossos olhos, são as marcas da sua evolução.


6 - Que força tem o evolucionismo em Coimbra? E em Portugal?
Tem a força de uma teoria científica. Não é nenhum movimento social ou manifesto que junte à sua volta espíritos desejosos de demonstrar a sua validade. Como todas as teorias científicas, está sujeita a um duro teste, dia a dia, perante as evidências das descobertas científicas. É um instrumento fundamental para os biólogos portugueses e de todo o mundo para desenharem as suas experiências e interpretarem os seus resultados e, desse modo, fazer avançar o nosso conhecimento sobre o mundo vivo de que fazemos parte.

1 comentário:

ancelmo luiz graceli disse...

31/01/2008 - 10:42

Teorias: origem, essência, transformação da natureza e da unidade da matéria, do espaço, da energia, do cosmo e dos astros


O professor e pesquisador Ancelmo Luiz Graceli apresenta a seguir teoria do universo fluxonário estruturante a partir do espaço denso, e teoria da energeticidade e radiação.

Apresentação: São duas novas teorias dentro da física: a primeira - que trata da origem do universo, da origem da matéria, o fluxo de processos e estruturação que ocorre a partir do espaço denso; já a segunda teoria - onde dá novas respostas, causas e fundamentações para todos os fenômenos da matéria e astros com duas causas, que são a energia e radiação produzidos pelo próprio astro.

Introdução a Origem do Universo: O Universo não surgiu de um ponto central para fora, por meio de uma grande explosão, mas sim o Universo surgiu de fora para dentro, ou seja, o espaço denso foi se aglutinando até formar a matéria e a energia, para depois se formar os astros. Segundo esta teoria, o espaço que se pensa que é um vazio, na verdade, possui densidade, e que, por aglutinação, vai sempre mais se densificando, até formar-se em bolhas, de onde vai dar surgimento à matéria, por isto que a matéria é infinitamente divisível. Assim, a Teoria do Universo Fluxonário Estrutrante consegue dar uma fundamentação à origem da matéria, da energia e dos astros.Vemos que, pela teoria da grande explosão e expansão, não é possível ser provado a quantidade de matéria que existe no Universo, sendo originado por um ponto ínfimo.

Universo Fluxonário Estruturante - Com a matéria e a energia já densificadas, surgem as bolhas de energia que dão início à formação dos primeiros astros, às nuvens de gases, às galáxias e aos aglomerados, ou seja, o Universo tem uma origem que inicia pelo espaço denso, passa pela fase de bolhas de energia até se tornar matéria, para depois formar os astros. A partir da fase de astros, o mesmo continua o seu processo numa segunda fase, produzindo as fusões nucleares nas estrelas, aumentando o processamento de energia, temperatura e radiação, onde será expelido parte da sua energia e matéria no espaço, onde formarão a temperatura, a radiação, a atmosfera, os anéis que se reagruparão e se esferificando, formando astros menores, no caso, planetas por estrelas, satélites por planetas e outros. Por isto que o Universo é um infinito fluxo de construção, desintegração e processamento, que sempre outros astros se formarão a partir de outros maiores e com mais energia, com menos intensidades de fenômenos e com menos dinâmica. Logo, este Universo tende a ser lento, enquanto outros em outros pontos do espaço se encontram em outras fases. Por isto que é encontrado aglomerados de nuvens de gases no espaço.

Enquanto uns se encontram numa fase mediana, que é no caso o nosso, outros se encontram mais envelhecidos e mais lentos, na fase final. E outros ainda, com mais dinâmica e mais energia, que se encontram na fase inicial.

Universo em Rotação - O Universo não se encontra em expansão, mas sim em rotação, translação e afastamento mínimo, se considerar o afastamento anual do Planeta Terra em relação ao Sol não chega a um metro. Tal situação é provada matematicamente pela Teoria da Energeticidade e Radiação. Na verdade, o que dá o sentido aos observadores de que as galáxias estão se afastando é o efeito Doppler, onde dá uma cor vermelha, que é a cor para o afastamento, quando se observa algum objeto luminoso se afastamento, porém, esta cor é observada quando qualquer objeto luminoso se encontra em rotação e translação. Foi a partir daí que levou a concepção da formação da Teoria da Expansão do Universo, e mais tarde a concepção da grande explosão.

Contestação - se o Universo estivesse em expansão, considerando o tempo de vida do Universo e que todo movimento inicial e maior não seria possível de ver nenhuma estrela no espaço. O outro ponto é que dá a aparência no espaço de que todos estão se afastando em relação a nós aqui na Terra, seria como se nós estivéssemos no centro do Universo, e isto seria uma grande coincidência. Outro aspecto se constitui na seguinte cogitação: como um ponto ínfimo teria tanta matéria? Como último ponto - de onde e de que surgiu a matéria? (não consegui reparar a gramática sem alterar o sentido – desenvolve você).

A Teoria do Universo Fluxonário Estruturante defende que o Universo se encontra em fases, e, enquanto uns já estão numa fase mais avançada, outros estão iniciando, e que o Universo se encontra em afastamento mínimo, em rotação e translação.

A Teoria da Energeticidade e Radiação - Através da procura para uma só explicação dos fenômenos da natureza que englobasse a origem das estrelas, dos planetas, dos satélites, dos cometas, dos asteróides, dos anéis, das atmosferas e dos outros fenômenos, como as órbitas, a rotação, a translação, o distanciamento, as fusões naturais, as atividades tectônicas, a origem e a evolução da matéria e da energia, dentre outros, cheguei à conclusão de que a energia é a responsável pelo processamento dos fenômenos, e que a energia e a matéria, por sua vez, se originam do espaço denso. Ou seja, o espaço denso produz a estrutura - que é a matéria, e produz o agente propulsor - que é a energia. No mais, constatei que a energia é a responsável pela dinâmica e pela órbita dos astros, porém, a dinâmica e a órbita passam por três fases, sendo elas:

Primeira: A Inicial - ocorre quando o astro se origina do primário, no caso - o Planeta do Sol. Nesta fase, o primário tem grande influência sobre o secundário, e a translação é grande, já a rotação é mínima; a órbita tem uma excentricidade, enquanto a inclinação tem uma irregularidade média. Isto se confirma de Mercúrio a Vênus.

Segunda: A Mediana - ocorre quando o astro já saiu de perto do primário e passa a desenvolver a sua dinâmica pela sua própria energia e radiação. Nesta fase, a translação diminui progressivamente, enquanto a rotação aumenta conforme o diâmetro e a energia do próprio astro, e as irregularidades da excentricidade, a inclinação da órbita e rotação diminuem. isto se confirma do Planeta Terra até Netuno. Ressalte-se que o menos irregular e com mais rotação é Júpiter, por ser o maior entre os planetas, conseqüentemente, ainda conserva grande quantidade de energia em processamento.

Terceira: A Final – nesta, o astro já se encontra com pouca energia e produção de radiação, levando ao mesmo a diminuir progressivamente a sua rotação e translação, porém, o seu comando também diminui, levando a aumentar as suas irregularidades na excentricidade da elipse, na inclinação da órbita e da rotação. Isto se confirma em Plutão e em todos os satélites distantes de seus primários, como também nos cometas e asteróides distantes.

É bom ressaltar que as duas teorias - a do Universo Fluxonário Estruturante e da Energeticidade e Radiação - são provadas matematicamente e com exatidão por fórmulas simples, onde não uso distância, massa ou gravitação para encontrar estes resultados. Na verdade, só uso o diâmetro, a radiação, a temperatura, a rotação e a velocidade equatorial.

Por outro lado, consigo ainda provar a origem e causa da rotação e sua inclinação, bem como o afastamento entre os planetas, usando também os seus diâmetros, fenômenos esses impossíveis de serem fundamentados e calculados pela Teoria da Gravitação e Teoria da Relatividade.

Estas duas novas teorias abrirão novas portas para a pesquisa da cosmologia, da astronomia e da micro-física.

. Teoria da Origem da Matéria e do Cosmo, e do Universo Fluxonário Estruturante. | . Teoria da Cosmogenese da Energeticidade e Radiação.

. Cosmogenese, Cosmologia, Cosmofísica, Astrofísica e Cosmogonia - Esta teoria é a que mais se aproxima do poder de Deus. Pois vai contra qualquer forma de caos.

Do quase nada tudo pode surgir – exceto Deus.| . O Universo é uma auto criação, porém uma obra deste porte só pode ter o poder do criador – Deus.

Esta teoria vai de encontro à harmonia e eternidade cósmica em detrimento ao caos e a finitude do universo proposto pela teoria da grande explosão.

Enquanto um entra em fluxo de desintegração e reintegração com menos energia, outros nascem mais distantes a partir da aglutinação do espaço denso.

Teorias do Cosmo Fluxonário Estruturante, e Energeticidade e Radiação - Esta não é apenas uma teoria do movimento, mas sim da origem, da essência, da transformação, da natureza e da unidade da matéria, do espaço, da energia, do cosmo e dos astros.

Cosmo Estruturante e Desintegrante. | . Modelo Graceliano.

Teoria da Bolha de Espaço Denso e Energia - Enquanto na teoria da grande explosão o universo se expande a partir de um ponto do espaço e de uma pequena quantidade de energia, e é um só. Na teoria da bolha o universo se contrai a partir do espaço denso para produzir a matéria e a energia de vários pontos do infinito do espaço, numa constante produção de novos universos em vários pontos do cosmo. Ou seja, ele se contrai para produzir a matéria para depois formar os astros e se expandir pela radiação. E são vários universos em infinitos pontos do cosmo em infinitas fases.

De nascimento na Fase Bolha de Espaço Denso – Fase Estruturante-, Na Fase de Energia, Na Fase de Matéria. E na Fase de Desintegração e Desprendimento e Afastamento no Espaço pela própria radiação da densidade da matéria. E reintegração formando secundários a partir do material irradiado pelo primário.

Fórmula para contração de espaço Denso - O espaço denso se contrai e diminui de tamanho para produzir a matéria, e se dá numa contração e diminuição infinita, que pode ser calculada com a formula do limite infinitesimal. Que do todo menos uma parte, dividido pelo todo, assim infinitamente.

Espaço Denso – parte / total espaço denso se estruturando. Assim, infinitamente, até transformar-se em energia e matéria. ED - P / ED ... até chegar a ser energia e matéria. Assim, temos a fórmula para formação da matéria, energia e para origem do universo.

Infinitos universos em fases estruturantes e desintegrantes.

Primeira Teoria da Origem e Natureza da Matéria - Sempre foi procurado pelos filósofos e químicos gregos, depois pela física moderna uma explicação para a origem, natureza e essência da matéria, em que o mundo em épocas foi dividido em forma e estrutura, espírito, mente e matéria, pois aqui mostro a primeira teoria do que a matéria pode surgir e do que ela é formada, que é de filamentos de espaço denso, sempre se procurou a matéria pela matéria e dividi-la infinitamente do átomo dos gregos até a centena de partículas que são catalogadas hoje.

Assim, temos aqui a primeira teoria do que a matéria possa ser formada, que é de filamentos de espaços denso.

Cálculo formação de matéria e para cosmo estruturante - Poder de contração do espaço denso * quantidade de espaço denso / tempo cosmológico = matéria e cosmo estruturante.

Cálculo para cosmo desintegrante - Poder de desintegração * quantidade de matéria, temperatura, radiação e energia por distancia ao cubo / tempo cosmológico. Pd*[qm / d cubo ] / t c.

Espaço Denso e Matéria, e Energia e Astros - O universo não se formou a partir de uma grande explosão, mas sim do espaço denso, o espaço denso é todo espaço que nos circunda, que temos a noção que ele é um grande vazio, mas não é, possui densidade, e dele a matéria e a energia se originaram para formar os primeiros astros, galáxias e aglomerados.

É falsa a expansão, é na verdade uma translação e rotação e um mínimo de afastamento.

O que temos a noção de uma grande expansão do universo é na verdade a translação e rotação do mesmo. Pois, se ele é infinitamente velho e começou a se expandir no momento de uma suposta grande explosão, os astros estariam tão distantes uns dos outros que nem a sua luz seria capaz de ser captada por qualquer tipo de telescópio.

A energia produz a radiação que produz o afastamento mínimo - Há sim um afastamento mínimo proveniente da ação da radiação e de altas temperaturas, afastamento produzido pela energia processada no interior dos astros.

Universo de Energia Estruturante, ou Universo de Contração e Desintegração - O Universo passa por dois processos – o primeiro da formação da matéria e energia pela contração dos filamentos do espaço denso.

O segundo da formação dos astros, seus processos de energia e produção de temperatura à proporção que a matéria se aglutina, com a matéria aglutinada é produzida grande quantidade de energia e temperatura, dando surgimento a radiação e a conseqüente desintegração do astro no espaço. Por isto que o universo é um fluxo de energia estruturante, onde primeiro se contrai para depois se desintegrar e se afastar uns dos outros, sempre em porções menores.

. Ancelmo Luiz Graceli é professor, pesquisador teórico, com graduação em filosofia, e já apresentou pesquisas à Secretaria Estadual de Ciência & Tecnologia do Espírito Santo (SECT), juntamento com o colaborador Márcio Piter Rangel (marciopiterrangel@hotmail.com). Para contatos: Rua Itabira N° 05, Rosa da Penha, Cariacica (ES) Brasil | CEP: 29143-269 | Telefone (27) 3216-7566 | E-mail: ancelmoluizgraceli@hotmail.com


Enviar Imprimir
Digite os termos da sua pesquisa
Enviar formulário de pesquisa


© Copyright 2006 Fator Brasil. Todos os direitos reservados.Desenvolvido por MeuClick