domingo, março 28, 2010

Os sismos de ontem - imagens cartográficas

Do Blog Geopedrados publicamos o seguinte post:


Com os sismos de ontem, já com intensidades capazes de assustar um bocadinho (sobretudo os alentejanos, menos habituados a estas coisas...) o número de pessoas que nos tem pedido informações tem aumentado.

Assim, à cautela, aqui ficam algumas imagens, legendadas, com cartografia associada aos dois sismos (e ainda a outros recentes):

1. Mapa de Portugal continental roubado ao Instituto de Meteorologia, com 3 sismos sentidos pelas populações no último mês, a vermelho: Albufeira, Mação e Estremoz

2. Mapa dos Açores roubado ao Instituto de Meteorologia, com 3 sismos sentidos pelas populações no último mês, a vermelho: Faial da Terra (1 e 2) e Flamengos

3. Mapa dos Açores roubado ao Centro de Vulcanologia e Avaliação de Riscos Geológicos (Universidade dos Açores), com últimos sismos sentidos e registados

4. Mapa do Faial roubado ao Centro de Vulcanologia e Avaliação de Riscos Geológicos (Universidade dos Açores), com últimos sismos sentidos e registados

NOTA: a título de curiosidade, entre a ilha do Faial (ponta do vulcão dos Capelinhos) e o rift Meso-Atlântico tem havido imensos sismos - há que estar atento...

O terceiro homem

Do Blog De Rerum Natura publicamos, com a devida vénia, o seguinte post, de autoria do Doutor Paulo Gama Mota:


A revista Nature publica esta semana um artigo de 4 páginas que vem revolucionar completamente a nossa história recente. É uma história dos nossos dias como espécie, não dos nossos dias de pessoas com uma vida evolutivamente muito curta, o que é válido para qualquer espécie.

A equipa de Svante Paabo, do Max Plank Institute de Leipzig, publicou os resultados da análise do DNA mitocondrial de um Homo sapiens que viveu no sul da Sibéria há cerca de 30-50 mil anos. O DNA foi extraído da falangeta do quinto dedo da mão. Graças à sua preservação no gelo, foi possível extrair uma quantidade suficiente de DNA em muito bom estado, o que é extremamente raro.

A análise desse DNA mitocondrial, por comparação com o nosso, o de Neandertais, que entretanto se conseguiu obter, e o de chimpanzés, produziu resultados absolutamente inesperados.

O que há de absolutamente especial no homem de Denisova?
Não é facto – real - de não pertencer à nossa sub-espécie, isto é, não é um Homo sapiens sapiens, ou seja um homem moderno actual. É que este homem de Denisova também não é um Neandertal. Trata-se de um terceiro Homem!

A distância genética (medida em termos de número médio de nucleótidos diferentes, isto é, de letras trocadas no DNA) entre nós e os Neandertais é de 202 posições nucleotídicas. A distância entre nós e o Homem de Denisova é de 385 posições. Por comparação, a nossa distância em relação aos chimpanzés é de 1462 posições. Isto que dizer que o Homem de Denisova é mais diferente de nós que o Homem de Neanderthal. Assumindo que o tempo de divergência entre nós e os chimpanzés é de 6 milhões de anos, isso significa que os nosso antepassados e os do Homem de Denisova se terão separado há cerca de 1 milhão de anos (muito antes da separação humanos-neandertais: 500 mil anos).

Até hoje, pensava-se que nos últimos 500 mil anos teriam existido apenas duas sub-espécies da espécie Homo sapiens: Nós e o H. sapiens neandethalensis. Este último, que ocupou grande parte da Europa, durante os últimos 300 mil anos, extinguiu-se há 28 mil anos, com as últimas populações conhecidas encontradas na Península Ibérica. Foram avançadas várias hipóteses para a extinção dos Neandertais que parece ser acompanhada da progressão dos humanos modernos; umas mais benignas que outras para a nossa linhagem. Mas, não fazia parte do quadro conceptual que pudessem existir outras formas, mais formas de humanos com divergências relativamente antigas e cujas populações persistiram até tão recentemente.

Há alguns anos levantou-se a polémica possibilidade de o designado ‘hobbit’, descoberto na Ilha das Flores, no mar de Timor, ser uma espécie ou sub-espécie diferente da nossa, que desapareceu há pouco mais de 10 mil anos. Em alternativa, poderia trata-se de um caso de nanismo e de mais uma série de patologias reunidas num único indivíduo. Não está ainda resolvido qual das duas hipóteses é a correcta. O mistério do Homem das Flores ainda se encontra em aberto.

A descoberta deste Homem de Denisova, de que não há mais do que aquele fragmento de esqueleto, vem colocar o nosso passado evolutivo num quadro muito diferente. Se este siberiano é um terceiro homem, porque não aceitar que o homem das Flores é um quarto. E se assim é, torna-se muito mais plausível admitir mais sub-espécies em outras regiões isoladas. A nossa espécie parece, assim, ter um carácter muito especioso, isto é, com tendência de frequente separação entre populações e rápida evolução em sentidos diversos.

Tudo isto é muito surpreendente. A falangeta do Homem de Denisova aponta para um passado bem diferente do que imaginávamos. Esperemos para saber o que nos dirá a análise do DNA nuclear. Este é um verdadeiro filme de suspense, como o ‘terceiro homem’ de Carol Reed.

sábado, março 27, 2010

Dia Mundial do Teatro

Recordemos a data com um post roubado ao Blog De Rerum Natura:



Hoje, Dia Mundial do Teatro, deixamos um excerto da "Vida de Galileu" de Bertold Brecht, representada pelo Teatro Wilma de Filadélfia, EUA, na parte em que Galileu mostra a sagredo as descobertas que fez com o telescópio e que foram anunciadas há precisamente 400 anos.

No final do excerto:

Galileu - Claro. E agora estamos a ver. Não pare de olhar, Sagredo. O que você vê é que não há nenhuma diferença entre céu e terra. Hoje, 10 de Janeiro de 1610, a humanidade regista no seu diário: aboliu-se o céu.

Sismo em Sousel - mais dados

Segundo o Instituto de Meteorologia (IM) os dados do sismo de hoje, que afectou o norte do Alentejo, são estes:

Portugal Continental (Data de actualização 2010-03-27)
Data(TU)Lat.Lon.Prof.Mag.Ref.GrauLocal
2010-03-27 13:37 38,96 -7,63 15 4,1 E Sousel IV/VEstremoz


Já o Instituto Geográfico Nacional (de Espanha) tem no seu site os seguintes dados:

Fecha Hora(UT) Latit. Longit. Prof. Int. Máx. Mag.
27/03/2010 13:37:51 39.0167 -7.6078
III 4.0

Finalmente uma imagem do registo das ondas sísmicas (sismograma) feito pelo geofone de Manteigas:

É favor desligar a máquina dos sismos...

27 Março 2010 - 13h57
Epicentro registado na zona de Sousel
Sismo de magnitude 4.1 sentido no Alentejo (EM ACTUALIZAÇÃO)

Um abalo de magnitude 4.1 na Escala de Richter foi sentido este sábado em vários pontos da região do Alentejo.

Com epicentro a cerca de seis quilómetros a Leste da vila de Sousel, o sismo foi registado às 13.37 horas.

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora afirmou à Lusa que o sismo foi sentido em várias localidades do distrito, nomeadamente em Évora, Estremoz, Vila Viçosa, Arraiolos e Borba, não havendo até ao momento quaisquer vítimas ou danos.

O CDOS de Portalegre afirmou que o sismo foi sentido em todo o distrito e não há conhecimento de damos e de vítimas, também o CDOS de Beja disse que o abalo foi sentido em Cuba e Beja.

in CM - ler notícia

Ciência FedEx

Do Blog Ciência ao Natural, do Doutor Luís Azevedo Rodrigues, publicamos, com a nossa vénia, o seguinte post:

skull-100315-02.jpg

Encomenda informativa urgente:

Novo anfíbio.
Fóssil.
Descoberto em terrenos do aeroporto de Pittsburgh.
Que pertencem à FedEx.
Em 2004.
Com aproximadamente 300 milhões de primaveras.
Agora descrito e baptizado.
O seu nome?
Fedexia striegeli.

Entregue.


P.S. - sobre nomes científicos patrocinados por vários assuntos ver "Todos os Nomes"

fedexiax-large.jpg
Resto do pacote informativo:
Aqui e aqui.

Imagens:
Mark A. Klingler/Carnegie Museum of Natural History

Sismo no Faial

Do nosso amigo Carlos publicamos o seguinte post, roubado ao seu Blog GEOCRUSOE:

O sismo ocorrido hoje às 00.53 horas locais, de muito pequena Magnitude (MD 2.3), foi sentido com uma intensidade III da Escala Mercalli Modificada nas freguesias de Ribeirinha, Pedro Miguel, Praia do Almoxarife e Flamengos.

Apesar de só ter havido agora um evento sentido, já foram registados outros microssismos de menor Magnitude na mesma área epicentral indicada na figura num passado mais ou menos recente.

Os vários sismos próximos desta zona não originaram eventos graves. Assim deve-se seguir com calma as regras normais de segurança para estas situações, acompanhar eventuais Comunicados dos Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, tendo em conta a monitorização que o Centro de Vulcanologia e Avaliação de Riscos Geológicos faz continuamente nestes casos.

Em caso de necessidade, Geocrusoe fará novas actualizações consideradas convenientes ou que receba para divulgação.

ADENDA: aproveitamos este post para informar os nossos leitores que, no passado dia 12 de Março de 2010, pelas 10.20 horas locais (mais uma no continente e UTC) houve um sismo sentido em S. Miguel. Aqui ficam os dados, deste e do antes citado no post do Geocrusoe, segundo o IM:

Arquipélago dos Açores (Data de actualização 2010-03-26)
Data(TU)Lat.Lon.Prof.Mag.Ref.GrauLocal
2010-03-26 01:53 38,57 -28,65 9 2,8 E Caldeira (Faial) III/IVFlamengos
2010-03-12 11:20 37,46 -25,01 - 3,7 Banco Grande Norte IIFaial da Terra

III Congresso Ibérico de Paleontologia

top_imagem.jpgIII Congresso Ibérico de Paleontologia

XXVI Jornadas da Sociedad Española de Paleontología

"A Ibéria no centro das relações atlanto-mediterrânicas"

7 a 10 de Julho de 2010

image003.jpg

2ª Circular, Inscrições e Resumos de Comunicações

Já está disponível a segunda circular do III CIP

Ficha de inscrição e dados para o pagamento da inscrição.


Não esquecer de adiantar o relógio logo à noite...

Do Blog AstroLeiria publicamos o seguinte post:

Mudança de hora
Relógios vão ser adiantados na próxima madrugada

Os relógios vão adiantar-se 60 minutos quando marcarem 01.00 horas neste domingo em Portugal Continental e na Madeira

Os relógios vão adiantar-se 60 minutos quando marcarem 01.00 horas neste domingo em Portugal Continental e na Madeira. Nos Açores, a mudança ocorre pelas 00h00, para que o país, tal como a comunidade europeia, entre na hora de verão.

Rui Agostinho, director do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL), explicou que a hora de Verão passou a ser decidida a nível da União Europeia, ao contrário do horário de Inverno, que continua na competência de cada Estado.

Para definir o melhor horário e para que se cumpra a sequência do dia e da noite - porque a “actividade humana está extremamente dependente desse ciclo” - existe um órgão consultivo do Governo: a Comissão Permanente da Hora. Esta instituição é liderada pelo OAL e a sua última reunião foi há dois anos para dar o parecer sobre se a hora de Verão deveria continuar a vigorar.

Apesar de aos negócios e a quem investe nas bolsas internacionais desse mais jeito regressar à hora+1, Rui Agostinho diz que “para já” não têm existido pressões para essa redefinição, que, segundo vários relatórios, teve mais impactos negativos. “Na prática as pessoas vão atrás da luz solar”, resumiu.

O mesmo responsável sublinhou que o sismo que assolou o Chile em Fevereiro deixou inalterada a hora porque a rotação do planeta não foi afectada de “maneira mensurável”, como tinha sido avançado pela NASA através de modelos teóricos.

A ocorrer mudanças, serão apenas notadas dentro de “algumas dezenas de anos” com a acumulação de dados comprováveis que ultrapassem a taxa de erro. No entanto, o presidente do OAL sublinhou que em Ciência é “tão importante provar que se acertou, como que não se acertou”, já que apenas assim se percebe se os modelos estão correctos.

Mais uma espécie humana descoberta?

Achados na Sibéria podem revelar ramo hoje extinto da humanidade que vivia há 40 mil anos
Descoberto fóssil de nova espécie de homem?

Os cientistas na gruta onde foi feita a descoberta

A lasca de osso encontrada na Sibéria terá pertencido a uma espécie humana desconhecida - e hoje extinta - que coexistiu há 40 mil anos com os Neandertais e o homem moderno.

Quando olhou para os resultados, Johannes Krause, do Instituto Max Planck de Leipzig, na Alemanha, pensou que tinha havido um erro. Fez mais umas análises para ter a certeza de que o material genético era autêntico e muito antigo – e não o produto de uma qualquer contaminação. Quando acabou os testes, as dúvidas tinham desaparecido: estava mesmo perante “um novo tipo de ADN de homem primitivo”, como contou ontem numa conferência de imprensa telefónica.

Espantado e excitado, Krause quis dar logo a incrível notícia ao seu colega Svante Pääbo – um dos mais reputados especialistas mundiais de paleoantropologia genética –, com quem tinha realizado a análise genética de uma lasca de osso fossilizado de um dedo com 30 a 50 mil anos de idade, encontrado numa gruta do Sul da Sibéria. Pääbo estava nesse momento em viagem nos Estados Unidos e, quando atendeu o telemóvel do outro lado do Atlântico, Krause lembra-se de lhe ter dito para se sentar.

“O resultado era tão absolutamente espantoso que pensei que Johannes estava a pregar-me uma partida”, disse por seu lado Pääbo durante a mesma áudio-teleconferência, organizada pela revista Nature, que amanhã publica os resultados em questão.

O que tinham descoberto que era tão fora do vulgar? Um bocado de ADN humano inédito, pertencente a uma linhagem diferente das duas principais que até aqui se sabia que tinham habitado na Europa e na Ásia naquela altura: os Neandertais e os Homo sapiens (os Neandertais extinguiram-se há uns 28 mil anos). Mas hoje, essa visão mudou. “Há 40 mil anos, o planeta tinha mais gente do que pensávamos”, escreve na Nature Terence Brown, da Universidade de Manchester, num comentário ao trabalho dos investigadores alemães.

Contudo, a descoberta de uma potencial nova espécie humana não é em si inédita: a última, a do pequeno Homem das Flores, ou Hobbit, descoberto na Indonésia, aconteceu em 2003. Mas o que torna a nova descoberta notável, acrescenta Brown, é que, “pela primeira vez, uma nova espécie de humanos é descrita não a partir da morfologia dos seus ossos fossilizados, mas a partir da sua sequência de ADN”.

Comparação genética
Por enquanto, Krause, Pääbo e os seus colegas não sequenciaram ainda o ADN do núcleo das células, mas apenas o ADN mitocondrial do fóssil desenterrado em 2008 na Gruta Denisova, nos Montes Altai da Ásia Central – a ponta do osso de um dedo mínimo (não sabem se da mão esquerda ou direita) que terá pertencido a uma criança de cinco a sete anos de idade, frisam ainda os investigadores.

O ADN mitocondrial é um pequeno anel de material genético que se encontra dentro das mitocôndrias – as baterias das células – e que existe em muito maiores quantidades do que o resto do ADN. Utilizando técnicas de ponta desenvolvidas por estes mesmos cientistas para estudar o ADN dos Neandertais e de outras espécies extintas, foi possível ler cada “letra” desse ADN mitocondrial 156 vezes – tornando a probabilidade de erros de leitura extremamente remota.

A seguir, os cientistas compararam esse ADN mitocondrial com o de 54 seres humanos actuais, um homem moderno que viveu há 30 mil anos, seis Neandertais, um bonobo e um chimpanzé. E, como escrevem na Nature, constataram que enquanto a sequência dos Neandertais difere da do homem moderno em 202 posições (ou “letras” do ADN mitocondrial), a sequência vinda do dedo de Denisova difere em 385 posições. “É duas vezes mais distante de nós do que a dos Neandertais”, salienta Pääbo.

Isto sugere que o antepassado comum mais recente das três espécies terá vivido (em África) há cerca de um milhão de anos e que, na árvore da família humana, “o ramo que deu origem ao homem da Sibéria bifurcou -se muito tempo antes da separação dos ramos dos homens modernos e dos Neandertais”, lê-se num outro artigo também hoje publicado na mesma revista. “Se assim for, a suposta nova espécie terá saído de África aquando de uma migração até agora desconhecida, entre a do Homo erectus, há 1,9 milhões de anos, e a do antepassado dos Neandertais (...), há 300 mil a 500 mil anos.” (Diga-se, a título comparativo, que os nossos antepassados terão saído de África há uns 60 mil anos.)

Krause e Pääbo permanecem muito prudentes quanto a dizer que se trata mesmo de uma nova espécie. Afinal de contas, o ADN mitocondrial representa apenas uma muito pequena parte da história genética, uma vez que é transmitido exclusivamente por via matrilinear directa. O ADN mitocondrial é indubitavelmente inédito, insistem ambos, mas só a sequência do ADN nuclear é que poderá dizer se se trata de uma nova espécie ou não. Os cientistas também já conseguiram extrair ADN nuclear do fóssil de Denisova e estão actualmente a fazer a sua sequenciação, que deverá estar pronta “dentro de uns meses”.

Pääbo, entretanto recuperado da surpresa inicial, acredita que poderá haver muitas outras descobertas do mesmo género, sobretudo nas regiões mais frias do planeta, onde o clima permite a conservação do ADN dos fósseis – não só na Sibéria, mas também na Rússia e no Norte da China. “Até agora, a nova criatura que transportou este ADN para fora de África não tinha sido apanhada pelos nossos radares”, explica o cientista. Mas no fundo “não seria surpreendente [encontrarem] outras”.

Enquanto não obtiverem a sequência dos cromossomas sexuais contidos no ADN nuclear, os investigadores não vão saber se o dono do dedo de Denisova era homem ou mulher. Mas já lhe deram uma alcunha: X-woman. Só para lembrar que o ADN mitocondrial é matrilinear – e porque, dizem, gostam de imaginar que era uma mulher.

quinta-feira, março 25, 2010

Erupção na Islândia

Como alguns nossos leitores e amigos tem especial interesse por este belíssimo país, aqui ficam vários filmes de uma erupção no meio de um glaciar (o impronunciável Eyjafallajoekull, com o homónimo vulcão, que estava a descansar desde 1823...) na Islândia:






Sismograma no geofone de Manteigas

Do Blog Geopedrados publicamos o seguinte post:
Como de costume, para memória futura, aqui fica o registo no geofone de Manteigas (clicar para aumentar):


quarta-feira, março 24, 2010

Sismo em Portugal

Sismo em Portugal
Ocorreu faz pouco tempo (em 22.03.2010) um sismo, às 12.07 horas (hora local e UTC) num ponto de longitude 39,61º e latitude -7,96º, nas proximidades de Mação. O hipocentro, segundo dados do Instituto de Meteorologia, situou-se a 26 km de profundidade e teve magnitude 3,5 e intensidade IV.

nuestros hermanos do IGN têm uma opinião um bocadinho diferente:


Fecha Hora(GMT) Latit. Longit. Prof. Mag.
22/03/10 12:06:58 39.63 -7.94 11 3.1

segunda-feira, março 22, 2010

Poema para celebrar o Dia da Água




Navio Naufragado

Vinha de um mundo
Sonoro, nítido e denso.
E agora o mar o guarda no seu fundo
Silencioso e suspenso.

É um esqueleto branco o capitão,
Branco como as areias,
Tem duas conchas na mão
Tem algas em vez de veias
E uma medusa em vez de coração.

Em seu redor as grutas de mil cores
Tomam formas incertas quase ausentes
E a cor das águas toma a cor das flores
E os animais são mudos, transparentes.

E os corpos espalhados nas areias
Tremem à passagem das sereias,
As sereias leves dos cabelos roxos
Que têm olhos vagos e ausentes
E verdes como os olhos de videntes.

in Dia do Mar - Sophia de Mello Breyner Andresen (1947)

domingo, março 21, 2010

Para celebrar o Dia da Árvore e da Poesia...


Árvore


Antes que tua mão para mim se levante
pensa bem.

Fui eu quem te deu o berço
onde tua mãe te embalou...
Foi no meu corpo que gravaste (disseste ao Mundo) o teu amor
e escondi na minha sombra os teus primeiros beijos...

Fui eu que te dei teu leito,
onde tua mãe te gerou e te pariu...
Fui eu que te aqueci nas longas noites de Inverno
e te alimentei quando tinhas fome...

Foi em mim que fizeste o teu filho,
em noite mágica de amor…
E é em mim que descansas
das agruras desta vida e te recolhes, rendido ao cansaço.

E, quando partires,
minhas tábuas serão tua cama final...

Pensa bem,
antes que tua mão me abata.

Pedro Luna - poema inédito (in Blog Geopedrados)

sábado, março 20, 2010

Adiamento da actividade de hoje



A Saída de Campo aqui antes referenciada, com o Doutor Jorge Dinis da Universidade de Coimbra, prevista para hoje na cidade do Lis, foi adiada, por motivos climatéricos, para 08.05.2010 (também um sábado).

Em breve daremos novidades sobre o assunto, bem como de uma acção de formação, em Alcobaça, sobre a Geologia da região, dada também pelo Doutor Jorge Dinis.

Música para celebrar a Primavera



Here Comes The Sun

Here comes the sun, here comes the sun,
and I say it's all right

Little darling, it's been a long cold lonely winter
Little darling, it feels like years since it's been here
Here comes the sun, here comes the sun
and I say it's all right

Little darling, the smiles returning to the faces
Little darling, it seems like years since it's been here
Here comes the sun, here comes the sun
and I say it's all right

Sun, sun, sun, here it comes...
Sun, sun, sun, here it comes...
Sun, sun, sun, here it comes...
Sun, sun, sun, here it comes...
Sun, sun, sun, here it comes...

Little darling, I feel that ice is slowly melting
Little darling, it seems like years since it's been clear
Here comes the sun, here comes the sun,
and I say it's all right
It's all right

quarta-feira, março 17, 2010

Conferência sobre Petróleo em Lisboa

Na próxima 5ª feira 18 de Março, terão lugar no GeoFCUL duas Conferências apresentadas por Kenneth E. Peters, no âmbito do Distinguished Lecture Program da AAPG para 2010.

Este programa visa levar personalidades de alto nível na investigação científica e com vasta experiência na indústria petrolífera, a partilhar o seu conhecimento com diversas entidades, tais como Student Chapters, empresas e faculdades, entre outros.

Ken Peters é “Geochemical Advisor” e “Business Development Manager” da Schlumberger, sendo também Professor Convidado no Programa de Modelação de Bacias e Sistemas Petrolíferos na Stanford University.

Estas 2 Conferências terão lugar na Sala 6.2.53, a primeira às 15.30 e a segunda às 17.00 horas, com os seguintes títulos:
  • Exploration Paradigm Shift: The Dynamic Petroleum System Concept
  • Tracing the Origins of Crude Oil using Biomarkers, Isotopes, and Chemometrics
A organização destas conferências é uma iniciativa do AAPG SC-FCUL, contando com o apoio da GALP-Energia e dos Centros de Geologia e de Geofísica da FCUL.

A organização informa que estão convidados todos os interessados a participar nestas importantes apresentações na área das Geociências relacionadas com o petróleo e em particular na temática mais específica da geoquímica orgânica.

sexta-feira, março 12, 2010

Geologia de Leiria: um percurso pela cidade

Do Blog Geopedrados roubámos o seguinte post:

Os docentes da Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo (vulgo antigo Liceu de Leiria) vão fazer uma saída de campo com o Doutor Jorge Dinis (Universidade de Coimbra) semelhante à que foi feita em Agosto no âmbito da Ciência Viva no Verão - ver mais pormenores AQUI, AQUI, AQUI e AQUI. Esta será entre as 09.30 e 16.00 horas do sábado, dia 20.03.2010, em Leiria.

São aceites inscrições até 18 de Março através do e-mail gr520esfrl@gmail.com.

(clicar para aumentar)

quinta-feira, março 11, 2010

Observação astronómica na Barosa

Post em estereofonia com o Blog AstroLeiria:


Vai realizar-se amanhã (12.03.2010 - 6ª-feira) uma Observação Astronómica na Barosa, junto à Escola do 1º Ciclo (ver mapa interactivo no fundo deste post), decorrendo entre as 21.00 e as 24.00 horas ou enquanto houver clientes. Para saber mais consultar o seguinte FICHEIRO.

A entrada é livre, podendo cada um trazer o seu material de observação, comida e vontade de aprender...!


Ver mapa maior

terça-feira, março 09, 2010

Os Sismos e o Apocalipse

Aqui neste Blog não tratamos, habitualmente, de assuntos religiosos, mas a profusão de comentários estúpidos, de gente pouco conhecedora da matéria, que se ouve nos cafés e se lê nos sites dos jornais faz-nos destacar a seguinte notícia:

Ocorrência de tantos abalos é uma "coincidência"
Especialista diz que sismos são normais

De acordo com uma especialista em Sismologia da Universidade do Algarve, as actividades sísmicas que se têm verificado são algo “perfeitamente normal” e não passa de “uma coincidência” ter havido tão grande número sucessivo de abalos.

Maria da Conceição Neves explica que “mais de 90 por cento da actividade sísmica situa-se ao longo das cristas oceânicas onde não há estragos” e que as zonas onde as placas tectónicas convergem estão “sempre” a ser atingidas.

De acordo com a Lusa, a especialista não acredita que agora haja mais abalos sísmicos do que antes. A diferença, no seu entender, é que existem mais meios de comunicação, o que contribuiu para que estes fenómenos naturais sejam mais comentados.

“Não há motivo para alarme”, assegurou Maria da Conceição Neves que afirma não haver uma explicação cientifica para justificar a ocorrência dos sismos nos últimos meses que têm causado a morte de milhares de pessoas e a destruição de inúmeras cidades.
in CM - ler notícia

Localização do epicentro do sismo da Turquia

Segundo o NEIC/USGS este sismo fez, pelo menos 51 mortos. Para quem não sabe onde foi, um mapa da GoogleMaps feito pela instituição anterior mente citada:


View Larger Map

O sismo da Turquia no Público

Tremor de terra de magnitude 6
Sismo faz pelo menos 57 mortos no Leste da Turquia

Um tremor de terra de magnitude 6 na escala de Richter matou esta madrugada pelo menos 57 pessoas no Leste da Turquia. Há ainda algumas pessoas debaixo dos escombros e pelo menos 70 feridos, incluindo dez com gravidade.


A terra tremeu em seis aldeias na província de Elazig, com 320 mil habitantes, atravessada pela falha sísmica da Anatólia Oriental. As casas desta região são na sua maioria construídas em adobe e pouco resistentes aos frequentes abalos.

“Houve muito medo e pânico entre as pessoas. Durou cerca de um minuto. Sentimo-lo com muita força e toda a gente tentou sair para a rua”, disse à CNN turca Nursel Sengezer, correspondente da agência de notícias Dogan em Elazig.

Seguiram-se entre 20 e 30 réplicas. “A situação é terrível, as pessoas estão assustadas. Há chuva e nevoeiro, ninguém pode regressar a casa”, descreveu Yasar Çagribay, director do Crescente Vermelho na região.

Esta organização tem passado a manhã a distribuir cobertores e refeições aos habitantes, que participam também nos trabalhos de socorro malgrado o intenso frio. Muitos acenderam fogueiras.

O Centro de Crise de Elazig avançava com o número de 50 feridos. O sismo derrubou os minaretes de três mesquitas.

Tremores de terra com consequências graves são frequentes na Turquia, país atravessado por várias falhas sísmicas. Em 1999, dois sismos, em Agosto e em Novembro, fizeram 20 mil mortos no Nordeste, zona industrial com alta densidade populacional.

Sismo na Turquia

O sismo desta noite na Turquia, com magnitude 6,0 na escala de Richter, provocou algumas dezenas de mortos.

Enquanto não publicamos mais nada, um sismograma, desta vez do geofone de Tirgusor, Roménia:

(clicar para aumentar)

sábado, março 06, 2010

Sismos sentidos pela população em Portugal

Post em estereofonia com o Blog Geopedrados:


Para mostrar que também temos sismos, aqui ficam os dois últimos, um nos Açores e outro no Algarve.

1. Sismo de 03.03.2010 em S. Miguel


Segundo o Instituto de Meteorologia este sismo ocorreu às 05.17 horas (TUC - menos uma hora nos Açores) num local com longitude 37,63º e -25,14ª de latitude, a norte do Banco Grande Norte e sendo o hipocentro a 7 quilómetros de profundidade. A sua magnitude foi de 2,9 na escala de Richter e teve intensidade II na Escala de Mercalli modificada em Faial da Terra. Já o CIVISA - Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores - tem uma opinião ligeiramente diferente da sua intensidade:
Ponta Delgada, 03/03/2010 10:27
Sismo sentido na ilha de S. Miguel

Foi sentido um sismo na ilha de S. Miguel às 04:17 h (hora local/UTC-1), com epicentro a cerca de 15 km a SSE de Faial da Terra, ilha de S. Miguel. De acordo com a informação disponível o evento atingiu intensidade máxima III/IV (Escala de Mercalli Modificada), em Ribeira Quente.


2. Sismo de 05.03.2010 no Algarve


Segundo o Instituto de Meteorologia este sismo ocorreu às 17.10 (TUC e hora local) num local com longitude 36,21º e -8,49º de latitude, a sudoeste de Albufeira, sendo o hipocentro a 8 quilómetros de profundidade. Teve magnitude 3,9 e intensidade II na zona de Albufeira.

Encontro de Astrónomos Amadores

Post em estereofonia com o Blog AstroLeiria:

A APAA (Associação Portuguesa de Astrónomos Amadores) organiza o 8º Encontro de Astrónomos Amadores que decorrerá nas instalações do Colégio Militar (anfiteatro) em Lisboa no dia 8 de Maio de 2010.

TEMA - Astronomia de Amadores em Portugal (aspectos observacionais e instrumentais)

OBJECTIVOS
Reunir os astrónomos amadores portugueses e promover o intercâmbio de ideias e troca de experiências acumuladas.

O 8º Encontro de Astrónomos Amadores será constituído por comunicações sobre astronomia de amadores seguidas de debate e por “Workshops”. Serão igualmente realizadas sessões de demonstração de material utilizado pelos astrónomos amadores (e.g. instrumentos de observação, equipamento, software, etc). Há condições adequadas para que, paralelamente às palestras decorram observações solares, demonstrações de equipamento, etc. Existem amplos espaços exteriores ao anfiteatro (dentro das Instalações do Colégio Militar), adequados para estas actividades.

Durante o encontro estarão representadas no local firmas revendedoras de material de observação (telescópios e acessórios).

PROGRAMA

8 de Maio de 2010 (Sábado)

09.00 - 10.00 horas: recepção dos participantes
10.00 horas: Sessão de Abertura
10.30 -11.30 horas: Palestras
11.30 – 12.00 horas: Pausa para Café
12.00 – 13.00 horas: Palestras
13.00 – 15.00 horas: Almoço
15.00 - 17.00 horas: Palestras


Temas
  • Luís Santo - Optimização de setups portáteis
  • Guilherme de Almeida - As montagens equatoriais e o seu alinhamento
  • João Leal e Silva – Novas tecnologias (Astronomia de Amadores)
  • Pedro Ré - Observatórios de Astrónomos Amadores Portugueses
  • Pedro Ré – Técnicas de observação do Sol


Almoço:
Existe a possibilidade de almoçar (apenas no Sábado) no refeitório do Colégio Militar mediante inscrição prévia (pagamento efectuado no local).
Inscrição Prévia:
Agradece-se a INSCRIÇÃO PRÉVIA para que se possa contratar o serviço de "catering".
Envie um e-mail ( info@apaa.co.pt) com o assunto "EAA almoço" ou apenas "EAA presença" se não tenciona almoçar.

Estacionamento:
É possível estacionar no recinto do Colégio Militar (cerca de 300 vagas) mediante inscrição prévia enviando a matrícula por e-mail

(clicar para aumentar)

Imagens do local:

sexta-feira, março 05, 2010

O sismo da Indonésia no NEIC

O NEIC/USGS publicou os seguintes dados (preliminares) do sismo de Sumatra de 05.03.2010:

Earthquake Details

Magnitude6.5
Date-Time
Location 4.032°S, 100.806°E
Depth22 km (13.7 miles) set by location program
RegionSOUTHWEST OF SUMATRA, INDONESIA
Distances165 km (100 miles) W of Bengkulu, Sumatra, Indonesia
345 km (215 miles) S of Padang, Sumatra, Indonesia
415 km (255 miles) SW of Jambi, Sumatra, Indonesia
700 km (435 miles) WNW of JAKARTA, Java, Indonesia
Location Uncertaintyhorizontal +/- 8.4 km (5.2 miles); depth fixed by location program
ParametersNST= 56, Nph= 56, Dmin=241.4 km, Rmss=1.14 sec, Gp= 94°,
M-type=teleseismic moment magnitude (Mw), Version=7
Source
  • USGS NEIC (WDCS-D)
Event IDus2010tlbk


PS - segundo o NEIC, aqui fica o local do epicentro:


View Larger Map

Sismo na Indonésia

Indonésia regista sismo de 6,5 graus

Um sismo com uma magnitude de 6,5 graus foi esta sexta-feira registado ao largo da costa de Samatra, na Indonésia, anunciaram sismólogos, mas não foi emitido qualquer alerta de tsunami.

O epicentro do sismo localizou-se a 22 quilómetros de profundidade, adiantou o centro norte-americano de vigilância geológica (USGS), e a 165 quilómetros a ocidente da localidade de Bengkulu, na ilha de Samatra.

Não há ainda informações sobre eventuais vítimas ou danos.

in CM - ler notícia

PS - o que será um "sismo de 6,5 graus"...?!?

Icnofósseis descobertos no Alentejo - notícia


Paleontologia
Descobertas no Alentejo pegadas de elefantes extintos há mais de 30 mil anos

Uma equipa de investigação paleontológica descobriu no litoral alentejano os primeiros vestígios conhecidos na Europa do comportamento social do Elefante Antigo, tendo encontrado trilhos de pegadas destes animais extintos há mais de 30 mil anos.


A descoberta - feita por uma equipa científica do Geopark Naturtejo, coordenada pelo paleontólogo Carlos Neto Carvalho - resulta de um projecto de investigação das jazidas paleontológicas existentes ao longo do litoral do sudoeste alentejano e da costa vicentina, entre Porto Covo e Vila Nove de Milfontes.

A equipa de investigadores descobriu “um conjunto de pegadas de grandes e pequenos mamíferos, entre as quais as de um elefante que existiu na Europa, o Elephas antiguus”, explicou o especialista Carlos Neto de Carvalho.

“É um elefante próximo do elefante asiático e que se extinguiu há pouco mais de 30 mil anos do continente europeu”, explicou o especialista.

Estes trilhos de pegadas permitem aos investigadores conhecer mais sobre a anatomia destes animais e perceber também o tipo de comportamento e de habitats que povoaram imediatamente antes de se extinguirem.

“Já tinham sido descobertas várias ossadas, inclusivamente em jazidas portuguesas, e agora surge esta informação, que é complementar”, disse, sublinhando que este é o primeiro registo do comportamento social destes animais que se conhece na Europa.

Os vestígios, encontrados entre a região de Porto Covo, no concelho de Sines, e o norte de Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira, estão distribuídos por um conjunto de locais, em arribas costeiras desta zona do litoral alentejano.

“É um aspecto bastante particular o de que, de todas a regiões em que estudámos as dunas fosseis existentes - desde Porto Covo até Armação de Pêra -, apenas neste local tivemos oportunidade de descobrir estas jazidas com pegadas de grandes herbívoros e mais uma vez de Elephas antiguus”, destacou.

Tendo como prioridade a conservação e a interpretação do património geológico e tendo em conta este “património significativo do ponto de vista paleontológico”, Carlos Neto Carvalho considera que “faz todo o sentido”, não só estudar a relevância destes achados, mas também conservá-los. “Para nós faz todo o sentido, não só estudar do ponto de vista científico a relevância destes achados, mas também conservá-los para a posterioridade e conservá-los para que todas as pessoas tenham acesso a esta informação”, disse.

Para isso, o especialista defende ser fundamental conseguir parceiros para cooperar e possibilitar “um processo de replicação, utilizando tecnologias recentes, que permitem conservar toda a informação científica num espaço que depois poderá ser um centro de interpretação ou um museu local”.

Dinossáurios em Castelo Branco

Do Blog Geopedrados roubámos o seguinte post:

(clicar para aumentar)

No pavilhão do Nercab

Castelo Branco inaugura exposição de réplicas de dinossauros no final do mês

A mostra estará patente ao público durante sete meses e, segundo Pedro Viegas, da organização, trata-se da “maior exposição itinerante do mundo, pois em média as grandes exposições tem 12 ou 15 dinossauros e esta terá 32”.

Uma das novidades será a apresentação, pela primeira vez ao público, das ossadas verdadeiras de um dinossauro, encontradas no deserto de Wyoming.

“Vamos recriar a escavação que foi feita no terreno”, disse, acrescentando que, além disso, “há dinossauros que nunca foram expostos, apenas estudados cientificamente, e que vão marcar presença nesta exposição”.

A exposição começará a ser montada no dia 14 de Março e a organização espera que “seja visitada por mais de cem mil pessoas, durante os sete meses de funcionamento”.

A exposição mostrará também ovos, embriões e ninhos de dinossauros, garras e dentes dos maiores carnívoros de sempre.

Outro da vertente será a da escavação didáctica de um Tarbosaurus bataar, em caixa de areia. “Aqui as crianças terão a oportunidade de serem paleontólogos por um dia, terão à sua disposição material de escavação e um guia para os auxiliar nas suas descobertas”, explicou Pedro Viegas.

O preço dos bilhetes será de seis euros por pessoa, havendo bilhetes de preço inferior para escolas, crianças, grupos e para o público sénior.



NOTA: já tínhamos aqui anunciado esta exposição (ver AQUI) - é com agrado que a vemos ser divulgada nos media nacionais...


quinta-feira, março 04, 2010

Paleontologia no Público

Cientistas descobrem os familiares mais antigos dos dinossauros

Uma equipa de paleontólogos norte-americanos descobriu na Tanzânia os fósseis de criaturas próximas dos dinossauros que viviam na Terra dez milhões de anos mais cedo do que os dinossauros mais velhos até então conhecidos, segundo um estudo publicado hoje na revista “Nature”.

Reconstituição do "Asilisaurus kongwe", no que seria o seu habitat (Marlene Hill Donnelly/Field Museum)


A nova espécie chama-se Asilisaurus kongwe, viveu há 240 milhões de anos e media pouco mais de um metro de altura. Até agora pensava-se que os dinossauros mais antigos tinham 230 milhões de anos. Pertence ao género Silesaurus, um grupo com características muito semelhantes aos dinossauros.

A equipa, liderada por Sterling Nesbitt, afirma que os Silesaurus e os dinossauros conviveram durante parte do Período Triásico (há 250 e 200 milhões de anos).

Os paleontólogos descobriram fósseis de 14 indivíduos no Sul da Tanzânia, o que lhes permitiu reconstruir um esqueleto quase completo. Ficaram a faltar apenas pequenas partes da cabeça e da pata. Este quadrúpede pesava entre dez e 30 quilos.

A existência deste animal que se alimentava, provavelmente, de carne e de plantas é um indicador da riqueza da fauna antes de os dinossauros dominarem o planeta.

“Esta descoberta permite-nos pensar que os dinossauros eram apenas um dos grandes grupos de animais cuja diversidade explodiu durante o Triásico”, comentou Nesbitt, da Universidade do Texas, em Austin.

quarta-feira, março 03, 2010

Palestra sobre Antropologia Forense em Porto de Mós

Palestra sobre Antropologia Forense em Porto de Mós
Foi-nos solicitada a divulgação da seguinte actividade, envolvendo uma ex-professora de muitos geopedrados e um local que nos (me) é muito caro (dirigido por um geólogo e ex-colega de Coimbra):

No próximo dia 11 de Março terá lugar uma conferência subordinada ao tema “Antropologia Forense”, pelas 15.30 horas, na Ecoteca de Porto de Mós.


Andreia Ferreira, Ângela Santos, Cristiana Miguel, Fábio Santos e Rafaela Ferreira, alunos do 12ºA da Escola Secundária de Porto de Mós, estão a desenvolver um projecto com base na temática «Ciências Forenses», no âmbito de Área de Projecto.

Uma das actividades integradas neste projecto consiste num “Ciclo de Conferências”, que se iniciará no dia 11 de Março de 2010, com a conferência “Antropologia Forense”, tendo como convidada especial a Professora Catedrática de Antropologia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), Eugénia Cunha.

A sessão terá início pelas 15.30 horas, com uma breve apresentação acerca da Antropologia Forenses dinamizada pelos elementos do grupo, seguindo-se a participação da antropóloga Eugénia Cunha, como oradora.

A antropologia forense consiste na aplicação da antropologia física a questões legais, sendo que um antropólogo forense tem como principais funções a recuperação e a identificação de corpos em adiantado estado de decomposição.

Consideramos que esta conferência poderá sensibilizar a comunidade para a temática que nos encontramos a desenvolver, para além de permitir o esclarecimento de algumas dúvidas relacionadas com esta área das Ciências Forenses.

Para a participação nesta iniciativa agradecemos que nos contacte através do endereço de correio electrónico cfpms2009@gmail.com ou recorrendo ao nosso formulário de contacto.

in Blog Ciências Forenses - post de 26.02.2010

Os estranhos estragos do Sismo do Chile


Cálculos mostram que também tornou os dias mais curtos
Sismo do Chile desviou o eixo da Terra
02.03.2010 - 16:21 Por PÚBLICO

O sismo de 27 de Fevereiro no Chile que matou mais de 700 pessoas terá feito os dias na Terra mais curtos – embora imperceptivelmente, apenas 1,26 milionésimos de segundo mais curtos. Mas o eixo de rotação do planeta ter-se-á deslocado cerca de oito centímetros, em resultado do abalo de magnitude 8,8 na escala de Richter.

Estes cálculos são produto de um modelo informático usado pelo geofísico do Laboratório de Propulsão a Jacto da NASA Richard Gross. E não são algo inédito, que apenas tenha acontecido com este tremor de terra: estes efeitos acontecem quando se verificam grandes deslocações de massa no planeta.

Por exemplo, no terramoto de 9,1 na escala de Richter de Sumatra e no tsunami do Sudoeste Asiático que se lhe seguiu, a 26 de Dezembro de 2004, o dia terá diminuído 6,8 milionésimos de segundo e o eixo da Terra (a linha imaginária em torno do qual a Terra roda sobre si própria) ter-se-á deslocado sete centímetros.

Fala-se sempre no condicional porque é difícil verificar experimentalmente estas previsões feitas através de cálculos computadorizados. As mudanças são demasiado pequenas para serem detectadas em termos físicos, sublinhou Richard Gross ao site Bloomberg News.

Mas se são pequenas, as alterações são também permanentes, comentou ao Bloomberg Benjamin Fong Chao, reitor da Faculdade de Ciências da terra da Universidade Nacional central de Taiwan. “Esta pequena contribuição fica enterrada em mudanças mais vastas devido a outras causas, como o movimento de massas atmosféricas à volta da Terra”, explicou.

E por que é que o sismo do Chile, tendo uma magnitude mais reduzida que o de Sumatra, deslocou o eixo em oito centímetros, enquanto o de Sumatra se ficou por sete? “Primeiro, o de Sumatra localizou-se perto do Equador, e o do Chile numa latitude média, o que o torna mais eficiente a desviar o eixo da Terra”, diz o comunicado da NASA que dá a conhecer os resultados de Gross. “Em segundo lugar, a falha [geológica] responsável pelo sismo de 2010 mergulha na Terra num ângulo mais agudo do que o de 2004. Isto faz com que a falha do Chile seja mais eficaz a mover a massa da Terra verticalmente e, assim, a desviar o eixo da Terra.”

terça-feira, março 02, 2010

Notícia sobre cavidades vulcânicas nos Açores

Algar do Carvão (Terceira) - foto de Fernando Martins
Fissurómetros avaliam integridade física das cavidades vulcânicas

Instalar fissurómetros para avaliar a integridade física das cavidades vulcânicas abertas ao público é um dos principais objectivos da GESPEA - Grupo de Trabalho para o Estudo do Património Espeleológico dos Açores - para este ano.

Algar do Carvão e grutas do Natal, Torres e Carvão recebem, pela primeira vez, equipamentos que monitorizam fendas e fissuras para garantir a segurança dos espaços.

A avaliação da integridade física das cavidades vulcânicas que se encontram abertas ao público é uma das principais prioridades do GESPEA – Grupo de Trabalho para o Estudo do Património Espeleológico dos Açores que, este fim-de-semana, apresentou o seu projecto de actividades para 2010-2011.

Assim, serão instalados, pela primeira vez, fissurómetros no Algar do Carvão e Gruta do Natal, na ilha Terceira, bem como nas grutas das Torres, no Pico, e do Carvão, em São Miguel.

Em explicações ao jornal “a União”, Paulo Barcelos, presidente da direcção de “Os Montanheiros” e membro da comissão executiva da GESPEA, refere tratar-se de uma medida “necessária”.

“Queremos garantir a segurança destes locais que são visitados pelas populações e que possuem fissuras naturais”, disse.

O caso do encerramento da Furna de Água, ocorrido há cerca de um ano, esteve relacionado com este fenómeno.

A avaliação da integridade das cavidades será feita, assim, por via de parâmetros geológicos, através de fissurómetros, ou seja, de equipamento que permitem monitorizar fendas em vários planos e medir os movimentos de fissuras.

Será avaliado igualmente o impacto da visitação através da monitorização de parâmetros biológicos e climatológicos com a colocação de armadilhas e da instalação de estações climatológicas.


Conclusão de plano sectorial

Outras das intenções que a GESPEA compromete-se a cumprir até ao próximo ano está na conclusão do Plano Sectorial das Cavidades Vulcânicas dos Açores.

Até à data, explanou Paulo Barcelos, e com excepção para as cavidades que se encontram em áreas ambientais protegidas, “é inexistente” a legislação que protege especificamente as grutas, ressalvou.

Com o referido Plano Sectorial é criada legislação que permitirá a classificação tipológica das cavidades, consoante quatro classes A, B, C e D, consoante a importância da sua preservação.

Até lá, o GESPEA vai manter o carregamento de dados e o aperfeiçoamento do Sistema de Informação Geográfica das Cavidades Vulcânicas dos Açores (SIGCaVA), com a implantação de todas as cavidades conhecidas em cartografia.


WoMoVoc e spot´s publicitários
Entre os projectos e as actividades propostas pela GESPEA, ressalvamos ainda a implementação de uma base de dados internacional do WoMoVoc - “World Most Outstanding Caves” de acordo com a Comission on Volcanic Caves da International Union of Speleology, trabalho este orientado pelo grupo de trabalho açoriano.

Na prática, a GESPEA é responsável pela listagem de todas as novas e antigas cavidades existentes no mundo, suas candidaturas, avaliações.

No capítulo da produção de materiais de divulgação, o grupo multidisciplinar vai criar um conjunto de seis pequenas produções audiovisuais sobre as cavidades vulcânicas a serem emitidas na RTP/A, bem como na Internet. Os seis spot´s publicitários, de carácter científico, focarão os seguintes temas: génese das grutas, uso humano, formações, monumentos naturais, bioespeleologia e história da actividade espeleológica nos Açores.

A reestruturação do site do GESPEA, em www.speleoazores.com, passará a conter todas estas informações, pretendendo-se que passe a ser um portal, actualizado, com bases de dados e informações sobre as actividades desenvolvidas.


Catálogo com 270 grutas

Outro importante investimento para a GESPEA está na edição do “Catálogo das Cavidades Vulcânicas dos Açores”.

“Neste momento, não há qualquer tipo de documento que reúna o conhecimento existente acerca das cavidades vulcânicas dos Açores”, referiu Paulo Barcelos.

Ao todo, ficarão compiladas mais de 270 grutas conhecidas nas ilhas neste catálogo cuja data de lançamento ocorrerá, garantiu o responsável, ainda no curso deste ano.

Paralelamente, a GESPEA manterá, em 2010 e em 2011, a itinerância das exposições “Buracos de Lava” e “Visões Subterrâneas”.

in A União (jornal on-line)